sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A DIFERENÇA ENTRE TERÇO E ROSARIO

O que é o Rosário ou o Terço?

Algumas pessoas já perguntaram-me sobre a diferença entre o Rosário e o Terço pois bem, o Rosário é o conjunto de 200 Ave-Marias, ou seja, 20 mistérios que contemplamos desde a anunciação do anjo Gabriel até a coroação de Maria como Rainha do Céu e da terra. Já o Terço como o próprio nome diz se trata da quarta (permanece o nome terço) parte do Rosário, ou seja, 50 Ave-Marias ou 5 mistérios. Temos então, o Rosário dividido em quatro partes: A primeira parte os Mistérios Gozosos, a segunda parte os Mistérios Luminosos, a terceira parte os Mistérios Dolorosos e por fim os Mistérios Gloriosos. Quem achar difícil no seu dia-a-dia rezar o Rosário inteiro, pode dividi-lo rezando a primeira parte de manhã cedo, a segunda no meio do dia, a terceira no final da tarde e a quarta a noite, mas se mesmo assim continuar difícil, pode fazer como o proposto acima, rezando uma quarta parte por dia, ou seja, o Terço.
Será que o Terço (Rosário) não é uma oração mecânica, pouco inteligente?
Existe o risco de fazer do Terço (Rosário) uma oração mecânica, na qual a única preocupação é a repetição apressada. Porém, quando paramos para examinar o sentido da repetição, descobrimos: a força do Terço (Rosário) está na repetição.
Diz Jesus: “Se não vos transformardes e vos tornardes como criancinhas, não entrareis no reino dos Céus” (Mt 18,3). Quando rezamos o Terço (Rosário), estamos diante de Deus, do modo que mais lhe agrada, como um coração de criança e sem impor condições a Ele. (Pe. Alberto Luiz Gamberini)
Já ouvi algumas pessoas questionando sobre o Terço (Rosário), dizendo que é apenas repetitivo, ou que não é Bíblico. Pois bem, não vou aqui escrever um testamento explicando a respeito, mas há um CD do Pe. Joãozinho (recomendo) que se chama: “Os mistérios do TERÇO (ROSÁRIO)”. No encarte deste CD, ele fala sobre 10 boas razões para rezar o Terço (Rosário), que eu gostaria de colocar aqui. Não pedi autorização a ele nem a ninguém que por direito deveria, mas se tratando das coisas de Deus, acho que não terá problema:
1. É uma Oração Bíblica: O Pai-Nosso é a oração que Jesus nos ensinou. A Ave-Maria, na primeira parte, é a saudação que lemos no Evangelho àquela que seria escolhida para ser a Mãe de Deus (Lc 1,28. 42).
O Terço (Rosário) repete as palavras do Evangelho. Quando o rezamos, realizamos a profecia de Maria no Magnificat: “Todas as gerações me chamarão de bendita” (Lc 1,48). Bendita sois vós entre as mulheres.
2. Cristo está no Centro do Terço (Rosário): O mais importante não é prestar atenção nas palavras. Elas apenas ajudam a mente a concentrar-se nos momentos da vida de Cristo. Nasce. Cresce. Anuncia o Reino. Realiza a vontade do Pai. Sofre a Paixão. Vence a morte. Vive. São os mistérios da vida de Jesus. São os mistérios do Rosário (Terço).
3. Rezar com a Igreja: Rezar o Terço (Rosário) é estar sintonizado com a oração de toda a Igreja. Não é oração individualista. Não é alienante. O terço faz a gente sentir Igreja.
4. Maravilhosa terapia: Se você vive cansado, se você está com insônia, se procura auxílio de calmantes, tente rezar o Terço (Rosário). Ele não é tóxico e produz um efeito maravilhoso. O Terço (Rosário) é fonte de bênçãos e de graças. Tente e você mesmo descobrirá.
5. Simples e Profundo: Até as crianças podem rezar o Terço (Rosário) e colher seus frutos. É uma oração simples. Parece que surgiu no meio do povo mais humilde. O Terço é uma oração profunda.
6. Escola de Oração: Precisamos aprender a rezar. Conheço muitas pessoas que não sabiam como se chegar a Deus. O Terço (Rosário) foi uma verdadeira escola.
7. Atual: Cada dia se fala de meditação. Nosso mundo agitado está começando a dar sinais de cansaço. Cresce o interesse pelos métodos orientais de oração. O Terço (Rosário) é de inspiração oriental… E é cristão. Por que não ensiná-lo às novas gerações?!
8. Oração Libertadora: O Terço (Rosário) liberta porque nos põe em íntimo diálogo com o Libertador. Maria canta: “Derruba os poderosos de seus tronos e eleva os humildes” (Lc 1,52. 53). Entre um mistério e outros repetimos: “Jesus, socorrei principalmente os que mais precisarem”. É a opção preferencial pelos pobres presente no terço.
9. Popular: Na cidade, ou no campo – religiosos, leigos, bispos, padres, até o Papa -, todos têm uma simpatia especial pelo Terço (Rosário). Não é a oração oficial da Igreja. Mas sempre foi rezado por toda a Igreja, principalmente pelo povo simples que encontra nele uma maneira prática de estar com Deus.
10. Oração cinematográfica: Enquanto repetimos as palavras, a imaginação vai criando em nossa mente o filme da vida de Cristo. Este modo de rezar é conhecido por “contemplação”.

Fonte: http://www.tercodoshomens.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.